Friday, November 23, 2012

Expectativas

Depois de largos meses sem escrever regularmente no meu blogue, estou de volta! Como acredito que nada na vida acontece por acaso, senti que o facto de nestes últimos dias tanta gente me ter perguntado pelo blogue (depois de meses e meses sem ninguém perguntar nada) deveria significar alguma coisa. E eis-me aqui. Como sou um bom exemplar do género «complicado», sinto logo a necessidade de me justificar. Mas hoje vou ser forte e resistir!!! E vou fazer como algumas crianças. «Porque deixaste de escrever?» «Porque sim!» «Porque voltaste a escrever?» «Porque sim!» Acho que é razão mais do que suficiente, não vos parece?
 
Há no entanto uma mania minha à qual não vou resistir hoje: a de reflectir sobre as coisas que vejo à minha volta, ou que acontecem comigo. E hoje apetece-me falar de expectativas. Não esperem nenhum tratado sobre o assunto, até porque não sou especialista, mas parece-me que o facto de termos expectativas (sobretudo demasiadas expectativas) em relação aos outros é uma das principais fontes de desentendimento entre as pessoas. E o pior é que às vezes elas nem se chegam a desentender. Criamos a expectativa, ela não é correspondida, ficamos desapontados e tornamo-nos frios em relação ao outro....às vezes até agressivos....e nunca lhe explicamos o porquê. Eu prefiro mil vezes que venham ter comigo e me digam: «eu criei esta expectativa em relação a ti e tu desapontaste-me».  E eu posso explicar-me, ou não. Mas posso sempre pedir perdão. E ser perdoada. Ou não.
 
Uma vez ouvi um pastor contar que antes do seu casamento disse à sua futura mulher: «Eu não tenho quaisquer expectativas em relação a ti, por isso tudo o que vier de bom é lucro.» Achei graça a isto porque, de facto, não deveríamos ter expectativas em relação a nada, e muito menos em relação às pessoas. Eu sei, somos seres humanos, e é normal que sejamos assim. Mas creio que podemos trabalhar isso e pedir a Deus que nos aperfeiçoe também nessa área. Todo o ser humano, por muito que goste de nós, e por muito boas intenções que tenha, falha. Isto para não falar das naturais diferenças entre as pessoas, que também contribuem para o desapontamento causado por expectativas não correspondidas. Sendo assim, o melhor caminho é sem dúvida não esperar nada. Jesus, que deve ser o nosso modelo, não teve expectativas em relação a ninguém. Aliás, Ele foi ainda mais longe. Sabendo que ia ser traído, continuou a amar. E morreu por todos nós.
 
Eu fico sempre muito triste e magoada (e sim, isto aconteceu-me recentemente e por isso escrevo sobre o assunto) quando alguém me trata menos bem ou se afasta de mim pelo facto de eu a ter desapontado. Sobretudo porque não tive qualquer intenção de o fazer. E estava convencida de que eu não criava expectativas em relação aos outros. Mas estava tão enganada! Quanto mais não seja, crio a expectativa de que os outros sejam como eu e não criem expectativas. Parece confuso? Não é! É mesmo assim!

1 comment:

Bricolar e Poupar said...

É verdade, quanto mais alta é a expectativa maior a decepção, o melhor mesmo é não criar expectativas ;)