Thursday, June 30, 2005

Um Amor em África (In My Country)

A Amnistia Internacional recomenda este filme

O novo filme de John Boorman fala-nos do pós-Apartheid e da Comissão de Verdade e Reconciliação que foi criada em 1995 para averiguar os acontecimentos de 34 anos de política de Apartheid, que vigorou na África do Sul e que foi responsável pela segregação dos negros e levou a inúmeras violações de direitos humanos.
“Um amor em África” tem estreia marcada para o público em geral no dia 30 de Junho de 2005.
UM AMOR EM ÁFRICA (IN MY COUNTRY)
Reino Unido, 2004, 104'
De: John Boorman
Com: Samuel L. Jackson, Juliette Binoche, Brendan Gleeson, Menzi Ngubane
África do Sul, 1995. Vivem-se momentos conturbados. O governo sul-africano cria a Comissão para a Verdade e Reconciliação (CVR) – presidida pelo Arcebispo Desmond Tutu – com o propósito de desvendar a verdade acerca das graves violações dos direitos humanos ocorridas entre 1 de Março de 1960 e 19 de Maio de 1994.
Langston Whitfield é um jornalista norte-americano enviado à África do Sul para cobrir as audiências sobre a CVR. Céptico, Whitfield acredita tratar-se apenas de um subterfúgio para os culpados escaparem sem punição.
Anna Malan é uma poetisa e locutora de rádio sul-africana que está também a seguir as audiências. Para Anna, trata-se de um momento crucial que permitirá exorcizar os fantasmas do Apartheid.
Com perspectivas e sentimentos divergentes acerca do processo de reconciliação, Langston e Anna acabam por se conhecer melhor e juntos irão partilhar emoções intensas à medida que os terríveis e dolorosos testemunhos vão sendo revelados. Será possível do ódio nascer o amor?
www.inmycountrymovie.com
Fui ontem ver a antestreia do filme e também recomendo vivamente. É muito bom. E mais não digo para não estragar a surpresa.

Monday, May 23, 2005

CAMPEÕES!!!!

VIVA O BENFICA! SOMOS FINALMENTE CAMPEÕES OUTRA VEZ!

Monday, May 16, 2005

SLB, SLB, SLB, SLB, SLB, GLORIOSO SLB, GLORIOSO SLB

Agora é tempo de felicitar o meu Benfica. E vamos ser campeões!

Tenho tanto trabalho que nem me tem apetecido escrever nada no meu blog. Quando não tenho trabalho (quando é que foi isso???), quero distância do computador.

A minha maninha enviou-me um texto muito giro e reproduzo aqui a frase final:
"O maior prazer de um homem inteligente é fazer de idiota diante de um idiota que faz de inteligente". Esta frase diz-me muito porque muitas vezes há pessoas que me tomam por idiota por eu ser "boazinha" (olhem que não sou tão "boazinha assim"!!!)

Friday, May 06, 2005

VIVA SPORTING OLÉ

São sete e meia da manhã e o dia já promete ser bastante quente.

Não sou sportinguista mas quero felicitar o Sporting pela passagem (sofrida) à final. Agora força para a final em Alvalade. Já que o Benfica não pode lá estar, vamos todos torcer pelo Sporting.

Friday, April 29, 2005

Enviaram-me esta que está o máximo! Riam-se lá um bocadinho, vá lá, mesmo que sejam do Bloco de Esquerda (a propósito, se tenho algum amigo do Bloco, avisem-me).

Contam, que certa vez ao chegar a casa, o Dr. F. Louçã ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal. Chegando lá, constatou haver um ladrão tentando levar os seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com os seus amados patos, gritou-lhe assim:
- Oh, bucéfalo anácroto! Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo acto vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa.
- Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada prosopopeia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência do que o vulgo denomina por nada.
E o ladrão, confuso, diz:- Doutor, eu levo ou deixo os patos?

Thursday, April 28, 2005

Bom Dia (ou Boa Noite)

Estou cheia de sono mas tive de me levantar bem cedinho para acabar um documentário sobre a história da imprensa em Espanha. Agora, enquanto o trabalho imprime, aproveito para dar atenção ao meu blog.



AOS AMIGOS
Perguntei a um sábio a diferença que havia entre amor e amizade, ele disse-me esta verdade...O Amor é mais sensível, a Amizade mais segura. O Amor dá-nos asas, a Amizade o chão. No Amor há mais carinho, na Amizade compreensão. O Amor é plantado e com carinho cultivado, a Amizade vem faceira, e com troca de alegria e tristeza, torna-se uma grande e querida companheira. Mas quando o Amor é sincero, ele vem com grandes amigos, e quando a Amizade é concreta, ela é cheia de amor e carinho. Quando temos bons amigos...ambos sentimentos coexistem dentro do nosso coração.”

Wednesday, April 27, 2005

Bom Dia Amigos

Por sugestão da minha mana, criei o meu blog mas a preguiça (a que normalmente também se chama falta de tempo) tem-me impedindo de o ir preenchendo com "alguma coisa". Mas ele aqui está e eu vou tentar ter mais tempo!!!

"Estou sempre atento e agradecido
às dádivas que o presente me traz."
......................................................................
Hoje é meu dia de estar presente
Estejamos aqui e agora. O agora é aqui, neste momento presente, o único instante no qual tudo pode acontecer ou deixar de acontecer. Estamos a prestar atenção? Estamos a perceber neste exato instante o que se passa? Estamos a sentirmo-nos na presença do Deus que nos ama eternamente? No silêncio fecundo deste momento, recebamos o eterno presente da nossa existência.

Thursday, March 10, 2005

Percentil, que palavrão é esse?

Nos dias que correm, pais e pediatras vivem obcecados com o percentil das crianças. Mas afinal, o que é o percentil?

Confesso publicamente a minha ignorância. Enquanto estive grávida, nunca soube e nem me preocupei em saber que história era essa do percentil. O meu obstetra, para fugir à regra ou talvez por ter percebido o meu desinteresse em relação a “pormenores técnicos”, nunca me falou do assunto. Nunca me preocupei em saber quanto media a cabeça da minha bebé e outras coisas do género. Bastava-me saber que ela estava bem.

Quanto ao percentil, ouvi algumas discussões sobre o assunto nos balneários do ginásio onde fiz as aulas de preparação para o parto. Mas nunca participei nessas discussões, nem me interessei pelo tema. No entanto, a minha vez acabou por chegar. Quando cheguei à primeira consulta de pediatria, com a minha bebé nos braços, lá estava ele, o percentil, à minha espera. E nunca mais me largou.

Até já consegui pôr a minha mãe a falar de percentis, apesar de as coisas serem diferentes na altura em que eu e os meus irmãos nascemos. Como ouvi certa vez alguém contar, o primeiro filho pesava-se todos os dias, o segundo todas as semanas, o terceiro todos os meses e o quarto, pegava-se nele para sentir o peso e logo se via se estava bem ou não.

Um parto divertido

Sim, é claro que tive dores, apesar de ter tido um parto considerado fácil porque foi tudo extremamente rápido. Desejo a todas as mulheres um parto como aquele que eu tive. Mas foi também um parto divertido.

Alguma vez tinham pensado que um parto também pode ser divertido?

Quando cheguei à urgência do hospital, já tinha contracções de cinco em cinco minutos, mas ninguém estava com muita pressa de me atender. Uma hora depois de lá chegar, fui recebida por um médico que me aconselhou a ir para casa e a voltar na manhã seguinte com a carta que eu levava do meu médico. Nessa altura, lembro-me de pensar: “Se eu já estou com estas dores todas e ainda tenho de ir passar a noite a casa, então isto é muito pior do que eu pensava”. Mas felizmente, fui observada por outro médico que viu que o parto estava iminente. Porém, também ninguém parecia acreditar nele e diziam para o meu marido e para a minha mãe que a bebé só nasceria lá pelas três da manhã (eram na altura umas seis e meia da tarde).

Quando fui para cima com a enfermeira, esta mandou-me para a casa de banho com um clister e, quando eu estava a tentar fazer imaginam o quê, aparece o médico, diz-me para sair dali porque não havia tempo e leva-me para a sala de partos.

Já na sala de partos, apareceu uma médica ou enfermeira (naquela altura as dores já eram tantas que eu não consegui distinguir) e perguntou-me: Foi a senhora que pediu a epidural?” “Não”, disse eu, “mas...” “Então está cheia de sorte porque temos aqui o anestesista e podemos dar-lha.”

Mas o médico mandou a senhora embora: “Nem pensem nisso! A bebé está quase cá fora.” E assim foi. Quando senti vontade de fazer força e me disseram que já podia fazer, ainda pensei: “Meu Deus, isto deve ser ainda o efeito do clister!” Mas não era e, às 19:39, nascia a minha doce Catarina que tem agora cinco meses e que fez de mim a mulher mais feliz do mundo, ou melhor, uma das mais felizes. Não me posso esquecer de todas as mulheres que, tal como eu, viveram este milagre que é o nascimento de um filho.

Sorriso

"Saiba sorrir para a vida a fim de que ela seja a sua própria alegria de viver. A partir daí, a felicidade estará permanentemente ao seu lado."(Iran I. Jacob)