Friday, December 03, 2010

Se eu não tivesse amor...

You can find this beautiful gift here

Quando me criticam pela educação que dou à minha filha, quando a comparo com outras crianças, quando vejo nela comportamentos que me desagradam, quando oiço outros pais falarem das muitas regras que têm e que conseguem fazer cumprir, mas sobretudo quando estou mais sensível, vem um desespero por todas as falhas que cometo enquanto mãe. Têm sido muitas ao longo destes nove anos de vida da minha menina. Nesses momentos, acho que isto só acontece comigo. Que sou a única mãe do mundo (excluindo aquelas que matam e maltratam os seus filhos) que falha tanto. Felizmente que também tenho outros momentos em que sei que não estou só. Mas ainda que eu saiba que é humano falhar, sinto tantas vezes uma angústia por todas as minhas falhas e as consequências das mesmas na vida da minha filha. Penso que já é tarde demais, que ela vai ter problemas por minha culpa, enfim...penso tudo aquilo que não devia pensar. Mas depois, surgem momentos em que a minha filha me surpreende com as suas atitudes, com o amor que brota do seu coração. E aí eu vejo a graça de Deus e lembro-me das suas promessas. E vem novamente a confiança de que, ainda que eu falhe, a Sua graça, a Sua fidelidade e a Sua misericórdia são novas a cada manhã.
Lembro-me de uma vez ter ouvido um famoso pediatra (não me recordo do seu nome) dar uma entrevista na televisão. Os apresentadores fizeram-lhe várias perguntas. Ele falou de regras importantes, deu sugestões, abordou vários assuntos. Pediram-lhe depois uma mensagem final dirigida aos pais. E ele disse: «Se tudo isto falhar, se nada disto der resultado, não se preocupem. Desde que haja amor, está tudo bem!» E eu lembrei-me desta passagem bíblica tão bela, que quase todos nós conhecemos:

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
1 Coríntios 13:1-3

2 comments:

Cintia Abrantes said...

Que lindo minha amiga!

Anonymous said...

Adorei o teu pensamento Lara, realmente nenhuma mãe se acha totalmente perfeita, muitas vezes focamos só nas pequenas falhas que cometemos, e ainda bem que Deus nos mostra o que fazemos de bom!!!!Um clarão passa em nossos olhos e nos faz enxergar o que temos feito e o papel tão importante e lindo que temos na vida dos nosso filhos, Deus te abençoe sempre querida!!!
Bjs
Denise