Friday, April 30, 2010

Que fenómeno é este?


A semana passada estava num jantar com várias pessoas e uma senhora que estava sentada ao meu lado, assim que acabou de comer levantou-se com o ar mais sério deste mundo e disse: «Bom, agora se me dão licença tenho de ir. Ainda tenho de ir tratar da minha quinta.» Por segundos ainda pensei por que razão a senhora iria tratar da sua quinta àquela hora da noite. Não percebo nada de agricultura mas o suficiente para saber que as quintas se tratam durante o dia. Mas logo a seguir fez-se luz e eu disse: «Está a falar da quinta do Facebook?» «Sim, sim» - disse a senhora sempre com o mesmo ar sério. «Tenho de tratar dos morangos e dar de comer às galinhas.» E lá foi à sua vida. A senhora saiu e eu fiquei boquiaberta! Mas que fenómeno é este? Deixo-vos com esta pergunta no ar!!!

Thursday, April 22, 2010

Somos todos diferentes

Porque é que não percebemos de uma vez por todas que somos todos diferentes mas temos todos o nosso valor? Este tema tem pano para mangas mas hoje só quero deixar aqui esta pergunta: porque é que temos de achar que os jovens gostam todos de andar em bando e aos pulos e os velhos gostam todos de calçar pantufas e ficar em casa?

Salmo 93

Reina o SENHOR.
Revestiu-se de majestade;
de poder se revestiu o SENHOR e se cingiu.
Firmou o mundo, que não vacila.
Desde a antiguidade,
está firme o teu trono;
tu és desde a eternidade.
Levantam os rios, ó SENHOR,
levantam os rios o seu bramido;
levantam os rios o seu fragor.
Mas o SENHOR nas alturas é mais poderoso
do que o bramido das grandes águas,
do que os poderosos vagalhões do mar.
Fidelíssimos são os teus testemunhos;
à tua casa convém a santidade,
SENHOR, para todo o sempre.

Tuesday, April 20, 2010

Meditando sobre a palavra de Domingo...

Seguindo a sugestão do Pastor Olgálvaro Júnior, meditei sobre a palavra de Domingo. E o que será que esta palavra está a falar à minha vida?
Como o comum do ser humano, também quero soluções rápidas e eficazes para os meus problemas. Há áreas onde eu já aprendi que não é assim mas há outras em que eu continuo a querer soluções rápidas e de preferência de acordo com os meus desejos.
Mas aquilo que mais me tem feito reflectir é o pensamento final deixado pelo nosso irmão Nuno Cardador: «Deus não nos define pelas nossas limitações. Nós mesmos nos definimos pelas nossas limitações. Deus também não nos define pelas nossas capacidades. Os outros o fazem. Deus define-nos pelas nossas possibilidades.»

Nestes dias agitados, lembremo-nos destas palavras...

Marcos 6:31 - E Ele lhes disse: Vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto; porque eles não tinham tempo nem para comer, visto serem numerosos os que iam e vinham.

Salmo 113:3-4

Do nascimento do sol até ao ocaso, louvado seja o nome do Senhor. Excelso é o Senhor, acima de todas as nações, e a Sua glória, acima dos céus.

Sunday, April 18, 2010

Em que ficamos?

Acreditamos ou não acreditamos no evangelho de Jesus Cristo? O meu pastor costuma dizer que se não acreditamos realmente naquilo que a Palavra de Deus diz, o melhor é deixarmos de aparecer na igreja e inscrevermo-nos num qualquer clube. Estou plenamente de acordo e acho que vou começar a dar este conselho, até porque aquilo que é necessário não são igrejas cheias de gente mas muita gente comprometida com o evangelho de Jesus Cristo. Quando falo em serviço e amor ao próximo da forma como Jesus nos ensinou, perguntam-me alguns (estou a falar de pessoas crentes ou que se dizem crentes...): «Mas em que mundo é que tu vives? Isso na vida real não funciona.» Pois eu acredito que funciona sim. É difícil? Claro que é. Mas é possível. E se não acreditarmos que é possível e que vale a pena, então realmente o melhor é dedicarmo-nos à pesca ou a qualquer outra actividade.

Thursday, April 15, 2010

A importância da mulher que está em casa

Gostava de partilhar aqui um texto que li no blogue Home Living, embora tenha feito uma tradução adaptada, pois não é minha intenção atacar as mulheres que trabalham fora de casa, nem afirmar verdades absolutas. Este texto é sobretudo para aquelas mulheres que estão em casa, seja por que razão for, e que estão convencidas de que o seu trabalho não é importante. Eu sei que este é um assunto polémico, sobretudo nos dias que correm, e eu podia escrever aquilo em que acredito com a desculpa de que o blogue é meu e escrevo aqui o que eu quiser. Acredito na importância de as mulheres estarem em casa, embora não afirme de forma alguma que todas deveriam estar em casa. Conheço muitas mulheres fantásticas, que vivem de acordo com a Palavra de Deus e que têm famílias lindas, e no entanto trabalham fora de casa. Mas não gosto de ver aquelas que estão em casa a diminuirem o seu trabalho e a diminuirem-se a si próprias pelo facto de estarem em casa. Por isso este texto é para essas mulheres:
É importante uma mulher estar em casa porque é aí que ela tem liberdade.
Algumas pessoas pensam que a mulher que está em casa está presa e não pode ir para onde quer. Mas isso não é verdade. Ela tem muito mais liberdade do que qualquer mulher com um trabalho fora de casa. Ela pode ir às compras, comprar comida saudável para a sua família, ou procurar coisas que tornem a sau casa um lugar agradável para se viver. Ela pode fazer o seu próprio horário, de acordo com as necessidades da sua família, e toma as suas próprias decisões de acordo com aquilo que é melhor para a família.
É importante uma mulher estar em casa porque ela tem um trabalho para fazer que só a ela pertence fazer.
Ser dona de casa é mais do que limpar e cozinhar, embora estas coisas sejam importantes. A mulher que está em casa tem uma razão mais profunda e espiritual para o fazer, embora não deva negligenciar a limpeza e a cozinha. Tudo se conjuga de forma harmoniosa. Se se tratasse apenas de cuidar da parte física de uma casa, poderia simplesmente contratar alguém para fazer esse trabalho. E se estivesse em casa apenas por razões espirituais, também perderia muitas coisas interessantes que fazem de uma casa um verdadeiro lar.
É importante uma mulher estar em casa para colocar limites às exigências com que a sua família se depara.
Sem uma mulher em casa a estabelecer limites sobre como gastar dinheiro ou em relação a actividades que ocupam muito tempo, outras pessoas aproveitar-se-iam disso. As crianças precisam das suas mães para organizarem as suas actividades e o seu descanso. Os homens precisam de encontrar em casa um refúgio para o stress e onde possam ser cuidados e alimentados. As mulheres são necessárias para proteger a saúde dos seus maridos e filhos.
É necessário tempo em casa para que as mulheres se dediquem ao seu alimento espiritual.
É importante reservar diariamente um tempo para meditar e orar. Qualquer pessoa pode cuidar do lado físico de uma casa, mas a mulher que se preparou espiritualmente, fá-lo com um propósito maior: que ela e a sua família estejam cada vez mais perto de Deus. A Palavra de Deus é comparada a uma semente. Ela tem de ser plantada em nós para que possa crescer. Uma mulher que se alimenta da Palavra de Deus será capaz de se lembrar daquilo que leu quando for confrontada com problemas. Sem este tempo de meditação e de oração, o seu trabalho torna-se apenas material e mecânico. Ela tem de reservar tempo para ler e estudar a Bíblia. Esta é uma boa altura para organizar os seus pensamentos e para orar acerca dos desejos do seu coração. É o seu tempo pessoal de louvor e adoração, em que dedica o seu serviço a Deus. Há uma grande diferença entre uma casa limpa e uma casa cuidada. E isso terá impacto nos vizinhos e nos amigos, que verão na sua forma de cuidar da casa e da família a glória de Deus.
É importante uma mulher estar em casa para ensinar os seus filhos.
Isto é difícil de ser feito quando as crianças passam o dia quase todo em instituições que não vivem os valores e a fé das suas famílias. As mulheres que estão em casa podem ensinar os seus filhos a respeitar e honrar os seus pais, e a comportarem-se. As crianças precisam de aprender a valorizar aquilo em que os seus pais acreditam e a respeitar as tradições da família. Estando em casa, as mulheres podem exercer uma maior influência junto das suas famílias. Talvez por isso haja tanta resistência para que as mulheres estejam em casa.
É importante uma mulher estar em casa porque assim não tem de comprar tudo.
Ela pode fazer coisas em casa e não tem tanta necessidade de andar sempre a comprar. Pode conservar aquilo que tem, em vez de estar sempre a substituir. Conheço mulheres que são capazes de consertar electrodomésticos, restaurar móveis, semear alimentos para serem consumidos em casa ou fazer as suas próprias roupas. Sabem como tratar as tosses e as picadas de abelha dos seus filhos, ou cortar o cabelo ao marido e aos filhos. Deixam de depender do dinheiro para tudo. Em casa, também podem vestir o que quiserem sem se preocuparem com o que os outros pensam. Sem gastar tanto dinheiro, penso que as mulheres podem ser mais criativas em casa.
É importante uma mulher estar em casa para exercer a hospitalidade.
Os melhores hotéis e restaurantes não nos conseguem dar o acolhimento e o conforto que a hospitalidade em casa proporciona. Basta às vezes um chá e uma torrada servidos com amor numa casa especialmente preparada para receber alguém, para proporcionar um bálsamo melhor do que qualquer programa social nos pode oferecer. A hospitalidade é muitas vezes referida na Bíblia, como podemos por exemplo ver em Actos 16:14. Imaginemos uma pessoa que está a passar por uma crise pessoal e que precisa de algum consolo. É uma pena que tenha de recorrer a outras soluções quando às vezes tudo aquilo de que precisa é de um pouco de hospitalidade. É importante as mulheres estarem em casa, disponíveis para qualquer situação de emergência. É desencorajador para as mulheres mais novas, que precisam de encorajamento e conselho, verem que não há ninguém a quem possam recorrer porque todas as mulheres estão longe de casa a trabalhar. A Bíblia dá às mulheres um papel especialmente criado para elas: o de cuidarem dos seus lares.
É importante uma mulher estar em casa para que os homens possam exercer o seu papel de provedores e tenham um verdadeiro lar ao qual regressar todos os dias.
Muitas vezes, as mulheres, ao trabalhar fora de casa, estão a afirmar que não confiam no papel dos seus maridos enquanto provedores. E quando os maridos obrigam as suas mulheres a trabalhar fora de casa, também não estão a agir de acordo com a Bíblia. E estão a afirmar que não acreditam que o plano de Deus seja suficientemente bom.
As habilidades domésticas desenvolvem-se com a prática e, quando as mulheres passam o dia todo fora de casa, não têm tempo para as desenvolver.
É importante uma mulher estar em casa porque é aí que ela sofre menos pressões para se conformar com a mentalidade deste mundo.
Ela é aceite pela sua beleza interior e encoraja o seu marido e os seus filhos a respeitarem-na a si e ao seu trabalho.
É importante uma mulher estar em casa, porque é aí que reside a sua maior autoridade.
Nenhum outro lugar pode ser de tanta honra e responsabilidade, um lugar onde a sua influência poderá passar de geração em geração.
Deus sabia o que estava a fazer quando falou da importância do trabalho das mulheres em casa. Ela pode cuidar de toda a família e adaptar o lar às necessidades de todos. Pode cuidar de pais ou avós quando estes precisam, ao mesmo tempo que ensina os seus filhos. Pode ajudar quem precisa. Pode desenvolver dons e talentos. E é a ajudadora do seu marido.
Este texto fala naturalmente de filhos mas não pensem as mulheres sem filhos, ou cujos filhos já saíram de casa, que não podem ser importantes em casa. Qualquer dia, publico aqui também um texto para essas mulheres.

Deus sabe todas as coisas


Às vezes perguntam-me, e eu própria também me questiono acerca disso (embora sem tristeza pois foi uma opção minha) de que valeu o esforço (financeiro por parte da minha mãe e de horas de estudo pela minha parte) de fazer o meu curso de Tradução se não estou a exercer nem a ganhar dinheiro com as traduções. E ontem, quando estava em casa de uns missionários americanos, Deus falou comigo e disse que me deu esta ferramenta para O servir, algo que já está a acontecer e certamente continuará a acontecer no futuro. Ele realmente sabe todas as coisas. Há um propósito para tudo.

Wednesday, April 14, 2010

Vivamos o presente

«Qualquer que seja a época da vida em que nos encontremos, ela apresenta oportunidades e desafios próprios para o crescimento espiritual. Em vez de desejar viver outro momento, precisamos de descobrir o que o presente nos oferece.» - John Ortberg

Um coração dedicado a Deus

Este texto não é da minha autoria mas infelizmente não me lembro de onde o tirei:
«Quer você esteja a empurrar um carrinho de criança, um carrinho de supermercado ou um andarilho de alumínio, quer você seja solteira, casada ou viúva, quer o seu desafio sejam os seus oito filhos ou a ausência de uma criança, quer você tenha de cuidar de crianças com sarampo, de um marido com cancro ou da sua própria osteoporose, a sua vida terá valor se você enfrentar os desafios com um coração cheio de devoção, de deicação a Deus.»

Tuesday, April 13, 2010

Feira da Ladra


Ouvi há pouco uma reportagem sobre a Feira da Ladra e lembrei-me dos tempos em que ia lá com a minha mana e algumas amigas para vendermos a «tralha» lá de casa. Era muito divertido. E às vezes também comprávamos alguma coisa. Lembro-me de um episódio engraçado com uma amiga que levou uma série de peças do pai, que não conseguiu vender. E para ajudar, nós ainda colocámos na mochila dela uma pedra grande. Ela só se queixava do peso da moochila, coitada, convencida talvez de que a dificuldade em transportar a dita cuja se devesse ao desânimo por não ter conseguido vender nada.

Dia do Beijo


Pois é, também temos o Dia do Beijo! É hoje. E ouvi agora que o beijo faz bem à saúde e alivia o stress.

Contagem de bênçãos - Março

Resolvi copiar esta ideia, que vi no blogue da minha querida Gi, porque acho que as boas ideias e os bons exemplos são para ser copiados. Parece-me um excelente exercício porque a nossa tendência é lembrarmo-nos das coisas menos boas que nos aconteceram ou daquelas que queríamos que acontecessem e ainda não aconteceram.
Embora o mês de Abril vá quase a meio, ainda vou bem a tempo de fazer a minha contagem de bênçãos durante o mês de Março. Alguma coisa ficará esquecida mas vou tentar...
  • Saúde. É verdade que tenho tido umas dores de cabeça mas o que é isso comparado com problemas tão mais sérios?
  • Festa do 18º aniversário de uma menina muito especial, filha de uma amiga também muito especial.
  • Tempo passado com a família.
  • Tempo passado com os amigos. É sempre tão bom.
  • Os conselhos e a oração da minha querida Sarah.
  • Um dia especial passado com as mulheres da nossa igreja, em que aprendemos sobre beleza interior e exterior.
  • Uma grande amiga fez uma cirurgia e, apesar de algumas coisas não terem corrido muito bem, Deus cuidou sempre dela e graças a Ele, está a recuperar bem. A confiança e a alegria em Deus desta mulher são também um exemplo para mim.
  • O primeiro módulo da Escola de Plantadores de Igrejas: Cultura Emergente, com o Pastor Olgálvaro Bastos Júnior. Como é bom aprender! E fui desafiada a colocar de lado os preconceitos que ainda tenho.
  • O dia de aniversário da minha mana. Foi um dia tranquilo mas muito saboroso, apesar de sentirmos a falta dos «manos indianos», que no entanto cantaram os parabéns via Skype (graças a Deus pela tecnologia!), e apesar da saúde débil da minha querida Vovó.
  • Estou a conhecer melhor a minha querida Flávia. Que mulher linda!
  • O culto de famílias na nossa igreja. Foi um tempo muito bonito em que todas as gerações participaram. E o almoço em casa da Céu, outra mulher linda.
  • O nosso aniversário de casamento.
  • Kids Games numa escola da nossa freguesia.
  • Ter começado a fazer voluntariado num projecto social na nossa freguesia. Tem sido difícil mas uma lição de vida. E ver sorrisos e gestos de ternura daqueles meninos é uma bênção.

Monday, April 12, 2010

Gálatas 6:9-10


«E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.»
Sempre gostei muito desta passagem bíblica, especialmente do primeiro versículo. Mas hoje meditei especialmente no segundo versículo pois tenho ouvido muito que é preciso fazer o bem principalmente aos que ainda não conhecem Deus e aquilo que este versículo nos diz é que devemos fazer o bem a todos mas principalmente aos da família da fé.

Tuesday, April 06, 2010

Salmo 31:19


Como é grande a Tua bondade, que reservaste aos que Te temem, da qual usas, perante os filhos dos homens, para com os que em Ti se refugiam.

Monday, April 05, 2010

My new plant - a gift from DH


A dormir de olhos abertos


Sempre a aprender!

Sabem o que é a bromatologia? Eu confesso a minha ignorância...não sabia!
Ontem, quando vínhamos de viagem, já na entrada de Lisboa, vi um cartaz que dizia Laboratório Municipal de Bromatologia. Perguntei ao meu marido o que era aquilo mas ele também não me soube responder. Mas como sou muito curiosa (acho que herdei isto da minha querida Vovó, que sempre viveu rodeada de livros e dicionários), cheguei a casa e fui pesquisar. Com a dúvida é que eu não podia ficar! Estava à espera de qualquer coisa muito complicada mas descobri que a bromatologia é a disciplina científica que estuda os alimentos. A palavra deriva do grego: Broma, Bromatos, significa «dos alimentos», e Logos significa «ciência».
Fui entretanto espreitar o site da Câmara Municipal de Lisboa e tirei de lá estas informações, para aqueles que são curiosos como eu.

Laboratório Municipal de Bromatologia – é um instrumento essencial no apoio às acções inspectivas na área da segurança alimentar

•Efectua análises microbiológicas e físico-químicas no âmbito do controlo da qualidade alimentar, nos estabelecimentos de comércio alimentar, nos mercados municipais, nas escolas básicas do 1º ciclo, nos refeitórios municipais e na Quinta Pedagógica dos Olivais.

•Efectua a recolha periódica de águas às várias Piscinas Municipais e às Fontes consideradas de maior utilização pelos Munícipes.


Contactos
Avenida Cidade do Porto
1700-111 Lisboa
Telf. 218.533.270 / Fax. 218. 511.935
Horário de Funcionamento: 2ª Feira a 6ª Feira
Das 9 h às 17 h

Sem culpas

Recebi um mail de uma amiga que, tal como eu, não tem um trabalho remunerado e está em casa. Ela sente-se culpada, algo que em tempos eu própria já senti e que muitas mulheres que optaram ou foram obrigadas a optar por esta forma de vida também sentem muitas vezes. Mas não há que sentir culpa. Outro dia, a filha desta minha amiga fez uma pergunta que a minha própria filha também já fez, ou melhor, a minha filha não pergunta, afirma logo com muita convicção que gostaria de ser como a mãe. Mas é logo atacada. Mas esta menina perguntou se podia ficar em casa como a mãe e não ter um trabalho fora de casa. E o pai respondeu: «Deus me livre filha! Toda a gente tem que trabalhar.». Também não culpo o pai desta menina por tal comentário porque se há uns anos atrás a norma era as mulheres estarem em casa a cuidar da casa, do marido e dos filhos, agora a norma é outra. E quem não segue a norma é sempre olhado de lado. A minha filha afirma muitas vezes que quer ficar em casa como a mãe e sempre que isso acontece, as pessoas ficam escandalizadas e olham para mim com um olhar recriminador, como que acusando-me de já estar a «impingir» estas ideias à minha filha. Mas se os outros lhe podem «impingir» tantas outras coisas, porque é que eu, como mãe dela, não lhe posso transmitir aquilo em que acredito? No entanto, faça ela o que fizer, o que eu quero mesmo é que ela venha a ser uma mulher segundo o coração de Deus.
Eu tenho as minhas teorias em relação a este assunto, e aqueles que me conhecem melhor também as conhecem, mas hoje não me apetece falar sobre elas. No entanto, aquilo que eu quero hoje frisar é que as mulheres que estão em casa não têm que sentir culpa alguma. Elas trabalham e muito, o seu trabalho é muito importante para a família e para a sociedade em geral e em vez de sentirmos culpas ou de nos tentarmos justificar pelo facto de estarmos em casa, agradeçamos a Deus este privilégio que muitas mulheres também gostariam de ter e não podem e empenhemo-nos na nossa missão com zelo e sobretudo com muito amor.