Friday, September 11, 2009

É cada uma....

Ontem a minha filha foi a um café aqui da zona com uns amigos nossos e encontraram umas pessoas nossas conhecidas que aproveitaram o facto de a Catarina estar sozinha para lhe «moerem o juízo» com palpites sobre o ensino doméstico. E remataram a conversa com um recado para ela dar à mãe: «Diz à tua mãe que ela é uma parva, que não sabe o que está a fazer e que te devia pôr na escola». Para além da falta de educação e de carácter que tais comenários revelam, só posso dizer: «Pai, perdoa-lhes, que não sabem o que fazem». E o que é mais caricato no meio disto tudo é que estes comentários vêm de pessoas com filhos já adultos, que não gostam de trabalhar, alcoólicos e toxicodependentes. Eu, se tivesse a pouca sorte que elas tiveram com os filhos, estava caladinha e nem me atrevia a opinar sobre a educação que os outros dão aos filhos.

Wednesday, September 09, 2009

De volta com....associações de ideias

Cá estou eu novamente, não sei se para ficar ou não, até porque o meu lema aqui é «blogging without obligation». Embora eu tenha conhecido gente fantástica por aqui, que merece todo o meu respeito, e tenha amigos e familiares que também gostam de ter notícias minhas através do blogue, a verdade é que eu sou de luas, e ultimamente a lua não tem andado nada virada para a Internet e para a escrita! Mas hoje apeteceu-me! Em Português. Peço desculpa aos que não falam a minha língua, mas coitados, nem as desculpas eles vão entender!
Parece que de cada vez que aqui venho sinto sempre necessidade de me explicar. Que mania esta! Mas agora que estão as explicações dadas (mais uma vez! estou a ficar repetitiva, deve ser da aproximação dos 40!), passo ao que vinha aqui dizer. Hoje tive um sonho estranho (aliás, os meus sonhos, ou são muito estranhos, ou são tão normaizinhos que até os confundo com a realidade) em que fui buscar uma série de coisas. E acho sempre graça a estas associações de ideias, e por isso apeteceu-me partilhar o meu sonho convosco. Sonhei que estava em Inglaterra, de visita a uns amigos, e que de repente se abateu uma tão grande tempestade sobre a cidade, que as casas foram levadas pela água e nós, depois de um enorme esforço para nos conseguirmos salvar, caminhámos vários quilómetros a pé até encontrarmos uma outra família amiga que nos deu abrigo e que estava preocupadíssima por termos perdido tudo, incluindo a casa. E eu não conseguia entender a preocupação deles. Só dizia: estamos vivos e isso é o mais importante. Deus está a cuidar de nós, nós vamos ser abençoados e ainda vamos abençoar muitas vidas. Quem me conhece bem, sabe que sou bastante desapegada das coisas materiais, mas não sei se a minha confiança em Deus chega a tanto. Mas gostaria que chegasse. E onde estão as associações de ideias neste sonho? Em primeiro lugar, esta noite houve muita trovoada e muita chuva mas eu, como sou exagerada, pintei a cena muito mais trágica no sonho. Em segundo lugar, ontem retomámos o nosso grupo de crescimento depois das férias e tivemos a visita do Pastor Flávio Guaratto (que viveu em Inglaterra muitos anos e agora está em Itália) e que falou do desafio (transformado depois em bênção) de darmos tudo a Deus, de entregarmos tudo nas Suas mãos. Já no Domingo o nosso Pastor Tito tinha falado disto, utilizando a história do jovem rico, em Lucas. O Pastor Flávio deu-nos o seu testemunho e eu percebi como ainda estou longe de entregar toda a minha vida nas mãos de Deus. Ainda tento na maioria das vezes assumir eu o controlo de tudo. Mas há algumas áreas que já consegui entregar, e vi como isso fez toda a diferença.