Wednesday, July 30, 2008

Teen Challenge / Desafio Jovem



Last night I've been to the 30th Teen Challenge conference in Lisbon and here is a summary of what Pastor Victor Torres has preached:

2 Kings 2

Like Elisha, we have to crossover something. In this case it was the Jordan. Elijah, the master, knew God was going to take him over in a supernatural way. When we are hungry for God, we want to search him with all our heart. But we need commitment. Many people don't like this word. We see that in marriages and this is also happening in the Church. We should know that if we want to reach our goals, we need a double portion, we need more closeness, we need to go higher, and that requires real commitment. Our calling becomes a reality when we are commited.

It takes commitment to accomplish great things. And Jesus talked about that with his disciples - «If anyone would come after me, he must deny himself and take up his cross daily and follow me» (Luke 9:23). There is no greater cross than the cross of the Gospel. Without the cross of Jesus, there is no salvation, there is no transformation, there is no healing. Many of us get so close of God transforming our life and then we stop.

Life has a lot of distractions and people are going to discourage us, even religious people. But with a double mind, we don't go anywhere. We shouldn't allow the ennemy to play with our mind. We should only hear and obey one voice - that of Jesus Christ. We cannot sleepwalk. While we sleep, we miss what God has for us. God is at the door, calling us. But only us can answer the door.

«Therefore, since we are surrounded by such a great cloud of witnesses, let us throw off everything that hinders and the sin that so easily entangles, and let us run with perseverance the race marked out for us» Hebrews 12:1. Sin is a problem of the heart and we all face sin. Disobedience weighs us down and when we are weighed down, we are going to be distracted and we are not going to get what God has for us.

Aos meus amigos portugueses, peço desculpa por não traduzir mas o tempo para escrever no blogue esgotou-se. Esperam-me outras tarefas.

Sunday, July 27, 2008

The Fellowship of the Believers / A Comunhão dos Crentes

Acts 2:42-47
«They devoted themselves to the apostles' teaching and to fellowship, to the breaking of bread and to prayer. Everyone was filled with awe, and many wonders and miraculous signs were done by the apostls. All the believers were together and had everything in common. Selling their possessions and goods, they gave to everyone as he had need. Every day they continued to meet together in the temple courts. They broke bread in their homes and ate together with glad and sincere hearts, praising God and enjoying the favour of all the people. And the Lord added to their number daily those who were being saved»
Pr. Alberto at our morning service today spoke about fellowship among believers. This passage of the Bible shows us that there was intimate companionship in the Primitive Church. But due to human selfishness, we lost this spirit of fellowship. We often tend to think that it is not possible to have that spirit again. But we must serve one another with the gifts that God has given to each one of us. When we live at the centre of God’s will, we experience a true and healthy growth. We are called to be Church and that requires commitment. There is a difference between visiting a church and being part of it. When we visit a church, we only receive but a true member of the church, not only receives, but gives and compromises himself with the ministry of the church. The members of the church must have fellowship. The Word of God is full of instructions as to how we can have fellowship with one another.
To develop true communion in church, we need:
1 – Sincerity. We have to speak the truth in love (Ephesians 4:15) even when we want to do exactly the opposite. Some people are afraid of having communion with other people because they don’t want to show their frailties. But we cannot wear masks. We shouldn’t avoid speaking truth in fear of offending someone but we must be careful and not speak the truth so coarsely that we don’t display love at all.
2 – Humility. Arrogance and obstinate pride lead to the building of walls but whereas humility builds bridges. Pride doesn’t let us grow, be transformed and help other people.
«If you have any encouragement from being united with Christ, if any comfort from his love, if any fellowship with the Spirit, if any tenderness and compassion, then make my joy complete by being like-minded, having the same love, being one in spirit and purpose. Do nothing out of selfish ambition or vain conceit, but in humility consider others better than yourselves.» (Philippians 2:1-3)
3 – Gentleness. We must be patient with those people that we don’t like for some reason. God places those people in our lives so that we may grow, but also to give us an opportunity to help them.
«Let your gentleness be evident to all» (Philippians 4:5)
4- Confidentiality. For a true communion in churches, we must guard what has been entrusted to us and turn away from godless chatter (1 Timothy 6:20)
5 – Perseverance. It is very important to have regular contact with one another. We should develop the habit of being together very often (Acts 2: 46)
Actos 2:42-47
«E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.»
O nosso Pastor Alberto falou esta manhã na igreja sobre o companheirismo entre os crentes. Esta passagem da Bíblia mostra-nos que havia companheirismo íntimo e amor fraternal na Igreja Primitiva. Mas devido ao egoísmo humano, perdemos esse espírito de companheirismo. Muitas vezes pensamos que não é possível voltarmos a ter esse espírito. Mas temos de nos colocar ao serviço uns dos outros com os dons que Deus deu a cada um de nós. Quando vivemos no centro da vontade de Deus, experimentamos um crescimento genuíno e saudável. Somos chamados a ser Igreja e isso exige compromisso. Existe uma diferença entre visitar uma igreja e ser membro da mesma. Quando visitamos uma igreja, estamos apenas a receber, mas um verdadeiro membro da igreja, não apenas recebe, mas dá e compromete-se com o ministério da igreja. Os membros da igreja devem ter comunhão uns com os outros. A Palavra de Deus está cheia de instruções sobre como termos comunhão uns com os outros.
Para desenvolvermos uma verdadeira comunhão na igreja, precisamos de:
1 – Sinceridade. Temos de falar a verdade em amor (Efésios 4:15) mesmo quando a nossa vontade é fazer exactamente o contrário. Algumas pessoas receiam ter comunhão com os outros porque não querem expor as suas fragilidades. Mas nós não podemos usar máscaras. Não deveríamos ter medo de falar a verdade em amor com receio de ofender alguém mas também temos de ter cuidado para não falarmos a verdade de forma grosseira e sem demonstrar qualquer amor pelo outro.
2 – Humildade. A arrogância e o orgulho obstinado criam muros mas a humildade constrói ponrtes. O orgulho impede-nos de crescer, de sermos transformados e de ajudarmos as outras pessoas.
«Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão de Espírito, se há entranhados afectos e misericórdias, completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo.» (Filipenses 2:1-3)
3 – Gentileza. Temos de ser pacientes com aquelas pessoas de quem não gostamos por alguma razão. Deus coloca essas pessoas nas nossas vidas para que possamos crescer, mas também nos dá a oportunidade de as ajudarmos.
«Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens.» (Filipenses 4:5)
4- Sigilo. Para uma verdadeira comunhão na igreja, devemos guardar o que nos foi confiado, evitando os falatórios inúteis e profanos (1 Timóteo 6:20)
5 – Perseverança. É muito importante mantermos contacto regular uns com os outros. Deveríamos desenvolver o hábito de estarmos juntos com muita regularidade (Actos 2: 46).

Thursday, July 24, 2008

Bananas

I've received this message and found it interesting:
Recebi esta mensagem que me pareceu interessante mas desculpem lá amigos de língua portuguesa, estou com preguiça de a traduzir.


Bananas contain three natural sugars - sucrose, fructose and glucose combined with fiber. A banana gives an instant, sustained and substantial boost of energy. Research has proven that just two bananasprovide enough energy for a strenuous 90-minute workout. No wonder thebanana is the number one fruit with the world's leading athletes. Butenergy isn't the only way a banana can help us keep fit. It can alsohelp overcome or prevent a substantial number of illnesses andconditions, making it a must to add to our daily diet.
Depression: According to a recent survey undertaken by MIND amongstpeople suffering from depression, many felt much better after eating abanana. This is because bananas contain tryptophan, a type of proteinthat the body converts in to serotonin, known to make you relax, improveyour mood and generally make you feel happier.
PMS: Forget the pills - eat a banana. The vitamin B6 it containsregulates blood glucose levels, which can affect your mood.
Anemia: High in iron, bananas can stimulate the production of hemoglobinin the blood and so helps in cases of anemia.
Blood Pressure: This unique tropical fruit is extremely high inpotassium yet low in salt, making it perfect to beat blood pressure. Somuch so, the US Food and Drug Administration has just allowed thebanana industry to make official claims for the fruit's ability toreduce the risk of blood pressure and stroke.
Brain Power: 200 students at a Twickenham (Middlesex) school were helpedthrough their exams this year by eating bananas at breakfast, break, andlunch in a bid to boost their brain power. Research has shown that the potassium-packed fruit can assist learning by making pupils more alert.
Constipation: High in fiber, including bananas in the diet can helprestore normal bowel action, helping to overcome the problem withoutresorting to laxatives.
Hangovers: One of the quickest ways of curing a hangover is to make a banana milkshake, sweetened with honey. The banana calms the stomach and, with the help of the honey,builds up depleted blood sugar levels, while the milk soothes andre-hydrates your system.
Heartburn: Bananas have a natural antacid effect in the body, so if yousuffer from heartburn, try eating a banana for soothing relief.
Morning Sickness: Snacking on bananas between meals helps to keep bloodsugar levels up and avoid morning sickness.
Mosquito bites: Before reaching for the insect bite cream, try rubbingthe affected area with the inside of a banana skin. Many people find itamazingly successful at reducing swelling and irritation.
Nerves: Bananas are high in B vitamins that help calm the nervous system.
Overweight and at work: Studies at the Institute of Psychology inAustria found pressure at work leads to gorging on comfort food likechocolate and crisps. Looking at 5,000 hospital patients, researchersfound the most obese were more likely to be in high-pressure jobs. Thereport concluded that, to avoid panic-induced food cravings, we need tocontrol our blood sugar levels by snacking on high carbohydrate foodsevery two hours to keep levels steady.
Ulcers: The banana is used as the dietary food against intestinaldisorders because of its soft texture and smoothness. It is the only rawfruit that can be eaten without distress in over-chronicler cases. Italso neutralizes over-acidity and reduces irritation by coating thelining of the stomach.
Temperature control: Many other cultures see bananas as a "cooling"fruit that can lower both the physical and emoti onal temperature ofexpectant mothers. In Thailand , for example, pregnant women eat bananasto ensure their baby is born with a cool temperature.
Seasonal Affective Disorder (SAD): Bananas can help SAD sufferersbecause they contain the natural mood enhancer tryptophan.
Smoking &Tobacco Use: Bananas can also help people trying to give upsmoking. The B6, B12 they contain, as well as the potassium andmagnesium found in them, help the body recover from the effects ofnicotine withdrawal.
Stress: Potassium is a vital mineral, which helps normalize theheartbeat, sends oxygen to the brain and regulates your body's waterbalance. When we are stressed, our metabolic rate rises, therebyreducing our potassium levels. These can be rebalanced with the help ofa high-potassium banana snack.
Strokes: According to research in The New England Journal of Medicine,eating bananas as part of a regular diet can cut the ri sk of death bystrokes by as much as 40%!
Warts: Those keen on natural alternatives swear that if you want to killoff a wart, take a piece of banana skin and place it on the wart, with the yellow side out. Carefully hold the skin in place with a plaster or surgical tape!
So, a banana really is a natural remedy for many ills. When you compareit to an apple, it has four times the protein, twice the carbohydrate,three times the phosphorus, five times the vitamin A and iron, and twicethe other vitamins and minerals. It is also rich in potassium and is oneof the best value foods around So maybe its time to change thatwell-known phrase so that we say, "A banana a day keeps the doctoraway!"

Flowers / Flores


I love flowers. And who doesn't? These were offered to me and to my daughter this morning by a dear lady.

Adoro flores. E quem não gosta? Estas foram oferecidas esta manhã por uma querida senhora a mim e à minha filha.

Homemade bread / Pão feito em casa


We have a bread making machine that was a present from a dear friend and now we make our own bread. But I'm still using different kinds of bread baking mixes. I like them but I would like to start trying other receipes. Would you like to share your own bread baking receipes?
Temos uma máquina de fazer pão que nos foi oferecida por uma querida amiga e agora fazemos o nosso próprio pão. Mas ainda estou a usar diferentes tipos de misturas já prontas. Gosto delas mas gostava também de começar a experimentar outras receitas. Será que gostariam de partilhar as vossas receitas de pão?

These photos are not very good but this one is sunflower seed bread:
Estas fotos não estão muito boas mas este pão é de sementes de girassol:


Folding t-shirts / Dobrar t-shirts

I saw this video at the Home Living blog and had to share it with you. It is in Japanese but it is enough to watch it. At first I was a bit confused but with my Dh's help, I managed to do it. I still don't know if I will start folding my t-shirts this way or if I'll keep the old way!!!
Vi este vídeo no blogue Home Living e tinha de o partilhar convosco. Está em japonês mas basta ver para perceber. A princípio fiquei um pouco confusa mas com a ajuda do meu querido marido, consegui aprender. Ainda não sei se vou começar a dobrar as t-shirts assim ou se continuo a fazê-lo como sempre fiz!!!
http://s235.photobucket.com/albums/ee1/giantster/?action=view&current=JapanStyle-CaraLipatBaju.flv

Why do we blog? / Porque escrevemos blogues?

Once in a while this question comes to my mind: Why do we blog? I'm not sure I have the answer. My answer. I know I've started reading blogs some seven years ago and I found such nice people, I learned so many things, I had fun, it is really something I love to do. And I have to discipline myself because otherwise I could spend hours reading blogs. I started my blog because my sister invited me to do so when she created her own blog. I wrote a few posts, then I stopped and this year I decided to start blogging again. First, I like to blog because I have always loved writing. I'm not a writer, I don't think I write that well, but I love writing. Is this a kind of online diary? Maybe it is. One day I destroyed my diaries because I didn't want anyone to read them. And now I have a diary that everyone can read??? Blogging can also be a form of emailing to everybody. To share experiences. What else? Why do you blog, dear friends?
De vez em quando esta pergunta vem à minha mente: Porque escrevemos blogues? Não sei se tenho a resposta. A minha resposta. Sei que comecei a ler blogues há cerca de sete anos e encontrei pessoas fantásticas, aprendi muitas coissa, diverti-me. É algo que eu gosto muito de fazer. E tenho de me disciplinar para não passar horas a ler blogues. Comecei o meu blogue a convite da minha irmã, quando ela própria criou o seu. Escrevi algumas mensagens, depois parei e retomei este ano. Em primeiro lugar, gosto de «bloguear» porque sempre gostei muito de escrever. Não sou escritora e nem acho que escreva assim muito bem, mas adoro escrever. Será uma espécie de diário online? Talvez seja. Um dia destruí todos os meus diários para que ninguém os pudesse ler. E agora tenho um diário que todos podem ler??? Escrever no blogue pode ser uma forma de escrever e-mails para toda a gente ao mesmo tempo. Uma forma de partilhar experiências. E que mais? E vocês, queridos amigos, porque escrevem blogues?

Wednesday, July 23, 2008

A Tree and Its Fruit / Árvores e seus frutos

«No good tree bears bad fruit, nor does a bad tree bear good fruit. Each tree is recognized by its own fruit. People do not pick figs from thornbushes, or grapes from briers. The good man brings good things out of the good stored up in his heart, and the evil man brings evil things out of the evil stored up in his heart. For out of the overflow of his heart his mouth speaks» Luke 6:43-45
«Não há árvore boa que dê mau fruto, nem árvore má que dê bom fruto. Porquanto cada árvore é conhecida pelo seu próprio fruto. Porque não se colhem figos de espinheiros, nem dos abrolhos se vindimam uvas. O homem bom do bom tesouro do coração tira o bem, e o mau do mau tesouro tira o mal, porque a boca fala do que está cheio o coração.» Lucas 6:43-45
Yesterday our Pastor invited us to think once more about what comes out of our mouth. What we say about God, about us and about other people. Personally I struggle a lot more about what I say to myself and that leads me to thinking if I’m really sure that God loves me unconditionally. I’ve had a so-called self-esteem problem for most of my life but I was convinced that I had got ridden of that problem from the moment I accepted Christ as my Lord and Saviour. But I still find myself saying things (not so often though) like «I can’t do it», «I’m not good enough», «I will never be able to do that».
Let us watch closely what comes out of our mouth and ask God to transform our heart, so that we can only find good stored up in our hearts.
Ontem o nosso Pastor convidou-nos a reflectirmos mais uma vez sobre aquilo de que a nossa boca fala. Sobre o que falamos sobre Deus, sobre nós próprios e sobre os outros. No meu caso, a minha luta prende-se essencialmente com aquilo que digo a mim própria e isso leva-me a pensar se realmente tenho a certeza de que Deus me ama de forma incondicional. Sempre tive um chamado problema de auto-estima mas convenci-me de que me tinha libertado desse problema no momento em que aceitei Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador. Mas continuo a dizer coisas (já não com tanta frequência) como «não sou capaz», «não sou suficientemente boa», «nunca conseguirei fazer isso».
Tomemos atenção a tudo o que sai das nossas bocas e peçamos a Deus que tranforme o nosso coração, para que apenas possamos encontrar bons tesouros nos nossos corações.

Monday, July 21, 2008

Aprons / Aventais

I love aprons. I always wear them when I'm cooking or when I'm cleaning. I like feminine aprons and I prefer them full coverage and with pockets. Currently, I only have four aprons. I would like to have more and I have already seen beautiful aprons I would like to buy. But is is not a priority right now so I'll have to wait.
Gosto muito de aventais. Uso-os sempre quando estou a cozinhar ou a fazer limpezas. Gosto de aventais femininos e gosto deles inteiros e com bolsos. Actualmente, tenho quatro aventais. Gostava de ter mais e já vi vários aventais bonitos que gostava de comprar. Mas neste momento isso não é uma prioridade na minha vida por isso vou ter de esperar mais algum tempo.



These are my aprons:
Estes são os meus aventais:









This is my favourite one because I love pink floral themes.
Este é o meu preferido porque eu adoro flores e cor-de-rosa.




I like the bright colours of this apron but it's too small for me.
Gosto das cores vivas deste avental mas é demasiado pequeno para mim.



This one was given to me by a dear cousin and it was hand-painted by her.
Este foi-me oferecido por uma querida prima que o pintou à mão.




My Mom brought me this apron from Italy some years ago and although it's a bit small, I love it. It has the limoncello receipe. I'll post it here for those who are interested. I've never tried it because I don't like alcoholic drinks.

A minha mãe trouxe-me este avental de Itália há uns anos e embora também seja pequeno, gosto muito dele. Tem a receita do limoncello italiano. Vou colocá-la aqui para quem tenha interesse em experimentar. Eu nunca a experimentei porque não gosto de bebidas alcoólicas.


Ingredients



1 litre water - 1 litre grain alcohol



1 kilo sugar - 8 lemons



take only the lemons peel, leave it to infuse in alcohol and place it in an hermetically sealed container. After four days, blend the alcohol infusion with the syrup you should have already, prepared using 1 kilo of sugar into 1 litre of hot water. Mix and wait ten minutes, then filtrate and put it into a bottle. Drink limoncelllo very cold.



And here is my daughter washing the dishes and wearing her little apron:



Sunday, July 20, 2008

Sim, estou aqui

Pois é, as férias no campo ficaram adiadas. Os imprevistos acontecem e infelizmente aconteceram este fim-de-semana. Peço a Deus que nos dê a todos forças para superar tudo isto.

English / Inglês

Since I'm having some international visits due to the link in Lady Lydia's blog, I'll try not to be lazy and do something I had already thought about. I'll start writing my posts (probably not all of them, sorry!!!) both in Portuguese and English. And I want to welcome all my english-speaking visitors.
Uma vez que estou a receber visitas de outros países por causa do link no blogue Lady Lydia, vou tentar não ser preguiçosa e fazer algo que eu já tinha em mente. Vou começar a escrever as minhas mensagens (talvez não todas) em Português e em Inglês. E quero dar as boas-vindas a todos os meus visitantes de língua inglesa.

Wednesday, July 16, 2008

Boas notícias!!!

Acho que já quase todos sabem e a minha maninha também ajudou a divulgar a notícia. Já veio o resultado da análise e, graças a Deus, o nódulo é benigno. O médico confessou que ficou muito preocupado quando me operou mas Deus é grande e está tudo bem. Estou muito feliz e aliviada.
Mais uma vez quero dizer que me sinto tremendamente abençoada pela família e amigos maravilhosos que tenho. Foram tantos os telefonemas, as orações, as mensagens, obrigada a todos. Comovi-me com o vosso amor.
E já agora um beijinho especial à minha Mamã, que andava muito aflita, eu sei, pois, para além de ser mãe e sofrer pela filha, reviveu momentos muito difíceis.
Ainda estou a organizar-me (pois é maninha, eu e as rotinas, os planos, as organizações...rs) mas talvez vá passar umas duas semaninhas fora, desta vez no campo. Os bons ares fazem-nos bem, a minha princesa sempre pode brincar ao ar livre mais tempo e também é bom para mim.

Friday, July 11, 2008

Notícias

Já fui tirar os pontos e está tudo óptimo, graças a Deus. Mas ainda não chegou o resultado da análise. Resta-me continuar a esperar.

Ensino Doméstico

Há cerca de um ano atrás, eu e o J. fizemos a opção de ensinar a nossa filha em casa. Um ano depois, continuamos a ser confrontados com muitas perguntas a respeito desta opção educativa. E sim, é disso mesmo que se trata, de uma opção educativa e não de qualquer fenómeno estranho ou capricho absurdo. Entendo que o ensino doméstico possa causar estranheza na maioria das pessoas pois é uma opção conhecida por poucos e escolhida por menos ainda.
Mas afinal, o que é o ensino doméstico? Segundo a lei portuguesa, é «aquele que é leccionado, no domicílio do aluno, por um familiar ou por pessoa que com ele habite».
A primeira vez que ouvi falar em «homeschooling» foi através de sites e de blogues estrangeiros que comecei a visitar assiduamente pouco depois do nascimento da minha filha. Comecei então a interessar-me pelo assunto, comprei livros para me informar melhor e troquei impressões com outras pessoas através desses mesmos blogues. Mas, por pura ignorância, e como acontece com a maioria das pessoas, estava convencida de que esta opção não era permitida no nosso país. Permaneci ignorante durante algum tempo até que um dia recorri ao meu precioso Google, escrevi «homeschooling Portugal», e descobri um fórum sobre ensino doméstico, descobri pessoas interessadas no assunto e pessoas que praticavam o ED em Portugal, opção que afinal existe na nossa lei.
Nessa altura o meu entusiasmo aumentou e comecei a considerar esta hipótese para a nossa filha. A princípio, o J. estranhou a ideia mas, depois de se informar melhor, aderiu completamente. E tomámos a decisão em conjunto e depois de termos orado para que Deus nos desse uma direcção.
São várias as razões que podem levar uma família a optar pelo ensino doméstico. Mas o que eu considero realmente importante é que haja a possibilidade de se optar pelo ensino doméstico. E aborrece-me que muitas pessoas sejam prontas a atacar e a criticar: «estás a fazer mal à tua filha», «estás a protegê-la demasiado», «não vai desenvolver competências sociais», «vai sentir-se isolada», «tem de saber como é o mundo e aprender a defender-se», etc., etc. Eu aceito que nem toda a gente pense como eu, aceito até conversar sobre o assunto pois é a conversar que nos entendemos. Mas acho que as famílias que optam por este regime de ensino devem ser respeitadas como qualquer outra família. Também vejo nas outras famílias muitas coisas com as quais não concordo, que não quero para a minha vida, mas respeito.
Pessoalmente, acredito naquilo que a Bíblia diz, que os filhos pertencem a Deus e que Deus delega nos pais a responsabilidade e a autoridade para criar e educar os filhos. Os pais podem delegar a sua autoridade para criar e ensinar os filhos noutras pessoas ou instituições, mas nunca poderão delegar a sua responsabilidade. Deus irá sempre responsabilizar os pais pela educação que os filhos recebem. É por isso que os pais devem escolher bem as pessoas que irão ensinar os seus filhos. No entanto, acredito que a melhor forma de assumirmos esta responsabilidade é sermos nós próprios a ensinar os nossos filhos. E acredito que, embora os conhecimentos académicos sejam importantes, o mais importante é buscarmos primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as outras coisas nos serão acrescentadas (Mateus 6:25-34).
Mas mesmo quem não acredita em Deus encontra vantagens no ensino doméstico. Uma delas é o facto de ser possível fazer um ensino mais personalizado, adaptado às necessidades de cada criança. Sabemos que todas as crianças são diferentes e que não aprendem todas da mesma forma e ao mesmo ritmo. Há também a vantagem de não ser necessário passar demasiadas horas na escola. As crianças passam muito tempo na escola e mais de metade desse tempo não é necessário e é mal aproveitado. Em casa, não é preciso estar tanto tempo sentado a uma secretaria, há mais tempo para brincar e para outras actividades que não estão limitadas pelos horários das escolas. Depois há a questão da segurança, que tanto preocupa os pais nos dias que correm. É evidente que não conseguimos proteger os nossos filhos de todos os perigos, mesmo tendo-os em casa junto de nós. Mas também sabemos que as escolas estão cheias de violência, de álcool, de drogas, de promiscuidade. E não me venham com a história de «temos de mandar os nossos filhos para a escola para se defenderem». Eu pergunto então a quem tem o privilégio de não viver num bairro da lata se não se quer mudar para um desses sítios para saber como é o mundo e aprender a defender-se. Se queremos o melhor para nós, certamente também queremos o melhor para os nossos filhos.
E já que me perguntam sempre pela socialização, o problema que preocupa tanta gente, eu respondo: não estou preocupada com a socialização. Creio que é um falso problema. A socialização não tem de ser feita exclusivamente na escola. Ela pode ser feita de várias formas e acredito que, fora da escola, é muito mais rica pois as crianças contactam diariamente com situações diversas e com pessoas de várias idades.
E para finalizar, que já vai longo este texto, estou a fazer o melhor para a minha filha? É evidente que acredito que sim pois caso contrário não o faria. E essa confiança vem de Deus e da Sua Palavra. Mas também sei que o futuro dela não está nas nossas mãos. Fazemos o melhor que sabemos e podemos, sempre confiando que Deus está a guardá-la.

Thursday, July 10, 2008

Super Bombi - O herói das coisas boas

O Bombi é um super herói que gostaria que as pessoas reconhecessem em Portugal muitos super heróis anónimos que, todos os dias, com enorme sacrifício pessoal e familiar, colocam a sua força e a sua vida ao serviço da dos outros e da natureza, os Bombeiros Voluntários. Chamados assim porque são os tais naturais da Bombeirália Voluntária da galáxia Humanitária.

Quer ainda despertar em todos, crianças, jovens e adultos, o super herói que há dentro de cada um. Despertar para a necessidade de todos fazerem coisas boas.

Wednesday, July 09, 2008

Rotinas

É engraçado como somos todos tão diferentes. Há pessoas que odeiam rotinas. É o caso da minha mãe, que costuma dizer que a rotina a mata. Pois eu saí completamente ao contrário. Sou uma mulher de rotinas, de planos, de listas. Sem rotinas fico completamente desorientada, como um barco à deriva no mar. As rotinas dão-me segurança, confiança, ajudam-me a estabelecer prioridades. Mas sou bastante flexível. Sei que os dias trazem sempre consigo imprevistos. Umas vezes são grandes, outras vezes pequenos, mas há sempre imprevistos. Um telefonema que demora mais do que o previsto, uma visita inesperada mas que nos enche de alegria, um filho que adoece, e tantas mas tantas outras coisas.
Nestes dias que tenho passado em casa a recuperar da cirurgia, resolvi pôr as rotinas de lado e deixar o tempo correr. Mas ontem já estava a perder o rumo. Começo a querer fazer tudo ao mesmo tempo ou a não querer fazer nada. Preciso mesmo das minhas rotinas, mesmo que tenha de lhe fazer alterações todos os dias.

Salmo 103

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome.
Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios.
É ele quem perdoa todas as tuas iniquidades, quem sara todas as tuas enfermidades,
quem redime a tua vida da cova, quem te coroa de benignidade e de misericórdia,
quem te supre de todo o bem, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.
O Senhor executa actos de justiça, e juízo a favor de todos os oprimidos.
Fez notórios os seus caminhos a Moisés, e os seus feitos aos filhos de Israel.
Compassivo e misericordioso é o Senhor; tardio em irar-se e grande em benignidade.
Não repreenderá perpetuamente, nem para sempre conservará a sua ira.
Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui segundo as nossas iniquidades.
Pois quanto o céu está elevado acima da terra, assim é grande a sua benignidade para com os que o temem.
Quanto o oriente está longe do ocidente, tanto tem ele afastado de nós as nossas transgressões.
Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem.
Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó.
Quanto ao homem, os seus dias são como a erva; como a flor do campo, assim ele floresce.
Pois, passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não a conhece mais.
Mas é de eternidade a eternidade a benignidade do Senhor sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos,
sobre aqueles que guardam o seu pacto, e sobre os que se lembram dos seus preceitos para os cumprirem.
O Senhor estabeleceu o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo.
Bendizei ao Senhor, vós anjos seus, poderosos em força, que cumpris as suas ordens, obedecendo à voz da sua palavra!
Bendizei ao Senhor, vós todos os seus exércitos, vós ministros seus, que executais a sua vontade!
Bendizei ao Senhor, vós todas as suas obras, em todos os lugares do seu domínio! Bendize, ó minha alma ao Senhor!

Tuesday, July 08, 2008

Para pais que já experimentaram todas as teorias

Talvez seja apenas mais uma mas resolvi experimentá-la «à séria» naquelas coisas que não estão a funcionar tão bem. E são tantas! Eu sei que não há pais perfeitos mas é sempre possível fazermos melhor, tentarmos ser melhores pais e mães. Já agora um desabafo: nunca percebi muito bem porque é que os pais têm, na sua maioria, vergonha (só pode ser vergonha) de confessar que têm dúvidas, receios e falhas na educação dos filhos. Parece que só os filhos dos outros é que são mal educados. Faz lembrar aquelas pessoas que garantem a pés juntos não ver telenovelas mas depois sabem a história toda.
Pois é, mas voltando ao «tomato stake», eu resolvi experimentar e está a dar resultado. Mas está a ser trabalhoso, claro.
Como estou em casa sem poder fazer grandes trabalhos físicos, pelo menos podia, entre outras coisas, escrever mais no meu blogue. É verdade que consegui passar a limpo a agenda das moradas, consegui pôr em dia papeladas e outras coisas do género e tenho lido muito, mas tem-me faltado a inspiração para escrever.
Eu sei que é habitual dizermos estas coisas mas apesar de habitual, acho que continuamos a não interiorizar isso. Já sabemos de cor e salteado que há sempre quem esteja pior do que nós, que há sempre quem esteja a sofrer bem mais do que nós. Não que isso nos alegre. Costumamos dizer «com o mal dos outros posso eu bem». Não sei se alguma vez entendi bem esta expressão. Eu não fico nada feliz por ver os outros a sofrer e, mais do que aliviada, sinto-me muito agradecida por ser poupada a sofrimentos que me parecem insuportáveis. Mas tenho sobretudo que me sentir agradecida, e nunca é demais repetirmos isto para nós próprios, por tudo quanto sou e quanto tenho, pelas imensas bênçãos na minha vida. E é quando olho para a vida de outras pessoas (como a Rita da reportagem sobre cuidados paliativos na TVI ou das mães que ainda agora ouvi a falarem da morte dos seus filhos) que percebo que os meus sofrimentos, as minhas dores, embora tenham todo o direito a existir, não são nada se comparadas com estas dores tão imensas. Obrigada Senhor pela minha vida.

Monday, July 07, 2008

Lição de paciência

Aqui estou eu a recuperar da cirurgia e sem poder fazer esforços. Se vir a coisa pelo lado positivo, o lado que eu prefiro, é uma forma de descansar e de apreciar o valor do marido enquanto ele cuida de mim. Mas às vezes também me aborreço porque me apetece limpar e arrumar tudo e não posso, a casa não está como eu gosto, há coisas fora do lugar, coisas desarrumadas, sujas, e isso mexe um bocadinho com o meu sistema nervoso. E quem me conhece sabe que eu não tenho a mania das limpezas e das arrumações. Mas lá vou outra vez buscar o lado positivo e tento encarar isto como uma lição de paciência, sabendo que é uma fase que estou a passar e que, infelizmente, há quem esteja bem pior do que eu.

Sunday, July 06, 2008

Impressionante

Vejam a história desta menina. Faz-nos pensar se estamos realmente a fazer tudo o que podemos fazer.

http://www.youtube.com/watch?v=4Ay5uBaoE5Y

Saturday, July 05, 2008

Obrigada

Já estou em casa e correu tudo muito bem, graças a Deus. E quero dizer que me sinto muito abençoada por ter anjos tão bonitos na minha vida. Obrigada à família e amigos pelas orações, pelos telefonemas, pelas mensagens, pelas visitas. Muito obrigada. Vocês são todos muito especiais.
Agora estou numa de repouso, com o marido a fazer-me a comidinha e a tratar de mim e na próxima sexta-feira tiro os pontos. Entretanto vou aguardando pelo resultado da análise com muita fé.

Tuesday, July 01, 2008

Cirurgia

Tenho andado atarefada desde que cheguei de férias e com pouco tempo para escrever.
Amanhã é o dia da minha cirurgia. Orem por mim por favor. Sei que Deus está no controlo de todas as coisas e isso tranquiliza-me mas às vezes vem aquele friozinho na barriga.